ISAIAS IN TESE está de volta em nova temporada. Anote aí: Teatro de Arena, de 30 de abril a 22 de maio, sábados às 21 horas e domingos às 20h. Mas, é melhor deixar o próprio ator, Francisco de Los Santos falar sobre a criação da peça e do seu personagem, o bufão Isaias.

O Isaias in Tese é um trabalho autoral que fala sobre assuntos que sempre me incomodaram. Um deles é o preconceito que sofremos quando a gente não faz parte de um bom estereotipo da sociedade.

A peça  é contada por um bufão – neste caso vestido como mendigo que fala sobre migração, dando ênfase a imigração nordestina e suas dificuldades. Situações que já passei não como mendigo, mas como vendedor e artesão onde uma das maiores dificuldades era de ser invisível à sociedade, passar “desapercebido” em alguns momentos, ser desrespeitado.

É certo que ao depararmos com algum mendigo ou algum vendedor de rede vindo em nossa direção já pensamos em algo que não nos agrada tentamos nos esquivar, sem ao menos saber se é com a gente que ele vai falar, vender, roubar, pedir ou ao menos nos olhar. Isso é fato! Porque agimos assim? Acredito que seja porque às vezes não conseguimos cuidar nem de nos mesmos, quem dirá de outro que nem conhecemos que vem em nossa direção. E é claro também que o mundo está perigoso, não podemos dar mole.

O Isaias vem sendo pesquisado há mais de 4 anos, surgiu depois de um curso com a Daniela Carmona e  afirmou-se na peça  Ópera dos Mendigos( jan 2007)montagem dirigida por Roberto Oliveira e Plínio Marcos Rodrigues adaptada sobre a peça Ópera dos Três Vintens de Bertolt Brecht.

 Foi neste momento que tive a necessidade de dizer algo,  então comecei saindo às ruas encarnando um mendigo para pesquisar, sentir o que  eu causava nas pessoas, ter essa troca. O texto foi elaborado a partir de improvisações e entrevistas feitas com nordestinos moradores de Porto Alegre e Cachoeirinha que foram muito acolhedores. Isaias in Tese estreou em agosto de 2010.

Com graça e ironia contamos uma história sobre migração, falamos da trajetória de um nordestino que migra para o Rio Grande do Sul, que passa dificuldades nos primeiros meses, mas acaba adaptando-se.

Quero, com este trabalho, poder ajudar de alguma forma pessoas que vivem em tais situações na sociedade, e a cada dia, procurar uma nova forma de associar meu trabalho a esta causa.”

 

É isso aí. É um monólogo. É uma comédia. É Isaias in Tese.